“Se você procura para seus filhos uma escola que parece uma casa, com quintal de terra, pão assando no forno, com grupos pequenos e acolhedores, que não intelectualiza precocemente e respeita o tempo de ser criança, que oferece brinquedos artesanais feitos com materiais naturais, que resgata a infância das cantigas de roda e dos contos de fada, que oferece lanche integral, com cereais e frutas, que é um jardim de infância de verdade… Venha conhecer a Escola Michaelis!”

Paula Levy

Professora-fundadora

Educação Infantil

Maternal

Turnos disponíveis: manhã e tarde
Idade dos alunos: 2 a 4 anos
Local: Rua Principado de Mônaco, Botafogo

O nome Maternal vem de mater (mãe, em latim) e, dentro do olhar da Pedagogia Waldorf, esse termo indica acolhimento à criança: a professora inspira-se na qualidade do papel da mãe sem, no entanto, colocar-se no lugar da própria. As idades dos pequenos vão de dois a quatro anos, período em que necessitam da presença marcante de suas mães. Por isso, um dos focos mais importantes do Maternal, além da segurança propiciada pelo vínculo com a criança, é criar uma atmosfera tranquila e alegre, que deve reinar na sala como se fosse uma extensão de sua casa, irradiada a partir da postura interior do educador.

As atividades propostas dentro da sala favorecem tudo aquilo que liga as crianças a tarefas habituais da casa as quais, aos poucos, ensaiam em suas brincadeiras. Então, saboreiam, em comunhão, lanches de frutas e cereais integrais e participam, espontaneamente, destes afazeres. A música permeia e conduz o Maternal. Enquanto canta docemente, a professora mantém o olhar atento, a cada criança.

Jardim de Infância

Turnos disponíveis: manhã e tarde
Idade dos alunos: 4 a 6 anos
Local: Rua Principado de Mônaco, Botafogo

Quando a Pedagogia Waldorf pensa em educação infantil, cria um ambiente à imagem e semelhança da casa, seguro e confortável, com uma cozinha dentro da sala de aula para os momentos de cultivo ao preparo do alimento, e com objetos naturais dispostos para a exploração da imaginação da criança.

Busca-se cuidar da infância como um espaço sagrado, onde a criança descobre estar viva, pulsante, respirando o mundo. Onde se alimenta do mundo a todo momento com seus sentidos; onde alimenta esse mesmo mundo com sua força criativa e potencial de liberdade. Onde a criança experimenta conhecer o mundo e seus limites a partir do próprio corpo. Onde cada criança é reconhecida como um ser individual, único, esperando que possamos abrir caminhos para que desenvolvam suas potências.

Nossa rotina se inspira nos ritmos da natureza, nos movimentos de concentração e expansão, criando uma base segura para a criança e seus processos orgânicos. A proposta é que a escola seja sentida pelos pequenos como um prolongamento do lar, onde as crianças, de forma rítmica, brincam, dentro e fora da sala, com brinquedos naturais, e em liberdade.

Aqui se respeita o tempo da criança e o ritmo cadenciado entre um brincar livre e um brincar dirigido, entre um brincar dentro e outro fora, entre movimento ativo e descanso, sempre evoluindo na toada como de uma respiração, que expande e contrai. Assim como o corpo mantem-se equilibrado com essa dinâmica, o aprendizado acompanha este ritmo.

Desta forma, há o tempo do brincar dentro, quando cria-se um ambiente propício para a criança experimentar sua imaginação, com pedaços de tecidos, brinquedos de madeira, objetos naturais, como tocos, sementes, folhas, caroços de frutas secas, cascas, entre outros, e um brincar fora, também com possibilidades de investigação da natureza e do próprio corpo da criança, que é convidada a viver brincadeiras na areia, na natureza, com balanços e escaladas, com objetos reais, naturais, um convite a experimentar a potência da vida.

Em sala, há também brincadeiras dirigidas, como a culinária, com a atividade principal semanal do fazer o pão, trabalhos manuais, desenho e aquarela, música e contação de histórias. Diariamente oferecemos uma alimentação orgânica a base de cereais, frutas e legumes.

As crianças ajudam a professora a preparar o lanche, limpar a louça, varrer, costurar e tecer, a partir – principalmente – da imitação com a qual ela realiza essas tarefas, e de acordo com a possibilidade de cada faixa etária.

A música, o canto e os contos de fada compõem essa atmosfera benéfica, e poética, na qual a criança pode se formar integralmente.